Pesquisar este blog

sexta-feira, 1 de julho de 2011

NA TERRA DO SOL NASCENTE

Quem diria que o nosso Chevette invadiria também o solo japonês? Sim, é verdade... Tudo começou em 1971, quando a General Motors arrebanhou grande parte das ações da industria automobilística nipônica Isuzu, pretendendo, desde então, concretizar o conceito de "carro mundial". 
A GM ainda é "dona" da Isuzu... vide o utilitário Isuzu Hombre, muito parecida com a nossa S-10 que, por sua vez, não guarda muita semelhança com a S-10 norte-americana.

Isuzu Hombre, muito semelhante à S-10 brasileira

Mas, voltando ao nosso assunto (Chevette), o pequeno GM começou sua carreira nas terras dos samurais substituindo um grande sucesso da indústria japonesa de automóveis: o Isuzu Bellet... Tanto que, em seu primeiro ano de mercado o Chevette japonês era vendido com o nome de Isuzu Bellet Gemini, para, somente em 1976, dois anos após seu lançamento, assumir a nomenclatura Isuzu Gemini.

Isuzu Bellet - antecessor do Gemini, o Chevette japonês


O Isuzu Gemini, ainda chamado Isuzu Bellet Gemini, surgiu em novembro de 1974, equipado com um motor quatro cilindros, SOHC, 1,6 litro e 70 CV de potência; havia também a opção de um motor À diesel, também de quatro cilindros, 1,8 litro e  praticamente com a mesma potência do 1,6 litro à gasolina. As opções de carrocerias eram apenas duas: sedan de quatro portas e coupé fastback de duas portas.




O novo modelo da Isuzu assemelhava-se muito com o modelo alemão (Kadett C), mas guardava uma peculiaridade, comum aos carros japoneses da época: os espelhos retrovisores afixados nos pára-lamas dianteiros, para que assim o motorista não precisasse "tirar os olhos da estrada" ao verificar o trânsito atrás dele.

























Ainda em 1976 o Gemini ganhou uma versão esportiva, o Gemini ZZ-R, em duas ou quatro portas, com o mesmo motor de 1,6 litro, só que mais afinado, chegando perto dos 90 CV de potência.




















Em 1978 o Gemini recebe seu primeiro face-lift, ganhando novos conjuntos ópticos, dianteiros e traseiros; novo painel frontal; novos pára-choques; entre outras novidades... Foi neste mesmo ano em que deixou de ser exportado para os Estados Unidos, onde era vendido sob o nome Buick Opel.




















Em 1980 a versão ZZ-R finalmente ganha um motor a altura de um pequeno esportivo "de respeito": quatro cilindros; muitliválvulas, com duplo comando; 1,8 litro e 130 CV de potência.




Neste mesmo ano o Isuzu Gemini volta a ser vendido nos Estados Unidos, só que desta vez não como um Buick Opel, e sim como um legítimo carro japonês: O Isuzu Gemini ZZ-R  ganhava o nome de Isuzu Impulse, enquanto as outras versões recebiam o nome de Isuzu I-Mark.


Em 1982 novo face-lift, apenas deixando os faróis retangulares, como já o eram nos modelos de exportação.






Em 1984 ocorre uma mudança bem radical no Isuzu Gemini: ele simplesmente torna-se outro carro, no qual não mais se reconhece semelhança alguma com o nosso Chevette.
Somente o nome Gemini foi mantido, mas agora ele é um automóvel dotado de tração dianteira e design mais atual.

Gemini 1984 - nada a ver com o "bom e velho" Chevette


Para encerrar a matéria, alguns prospectos e vídeos institucionais:



























Nenhum comentário:

Postar um comentário